quarta-feira, 25 de agosto de 2010

FORMANDOS DE 1960 - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO "PIRASSUNUNGA" 1960

PARA A TURMA DO CURSO NORMAL
3° A - Manhã- 1960
Autoria: Claudete Eliseu
Quando ela se refere à "Turma do Museu", é que fazíamos estágio no Museu Pedagógico como parte do currículo para Prática de Ensino.
Vou agora descrever
A turminha do museu
É formada por brotinhos
Todas assim como eu
A Lourdes é ajuizada
Se não é, também não digo
Basta somente dizer
Que ela anda só comigo
A Angela tem um "Batel"
E passa as aulas a navegar
E sabem o que ela diz?
Que está louca pra ancorar.
A Claudete, coitadinha
Já aprontou o enxoval
E dizem que vai se enforcar
Logo depois do Natal.
A Irma, pobrezinha
Que belezinha "sois"
Fico triste quando chora
Com o exercício trinta e dois.
A Dila, que dona de casa,
Do porco não sabe o que é o lombo
E dizem que vai se casar
Com o coitado do Colomgo.
A Íria , que esperteza,
Só porque foi operada
Diz que só vai ao baile
Se "ele" a levar carregada.
A Cleonice é boazinha
Mas está bem enganado
Quem disser que ela é santinha
E não tem nenhum namorado.
A Pedroso, nossa colega
Era muito ajuizada
Começou andar com a Dila
Mudou tanto, coitada.
Maria Amélia, a farmacêutica
Atendeu ao nosso apelo
E arrumou um bom remédio
Para "dor de cotovelo".
A Meire sofre de um mal
Que afeta o coração
Remédio pra dor de dente
Quem resolve é o "Buticão".
A Elza é um exemplo
De bom comportamento
Mas o que a turma quer
É um pouco de divertimento.
A Rute, boa colega
É a pior das desenhistas
Este ano está mais quieta
Até nas suas conquistas.
A Carminha vai enforcar
O coitado do Luís
Não sabemos se é na Igreja
Ou na frente do juiz.
A Mariinha é boazinha
Que amiga de valor
Mora perto da Biquinha
Só por causa do calor.
A Ivone anda azarada
Conjugando o verbo amar
Vai desistir do Exército
E tentar "cadetes do ar".
A Marielza é chamada
E gosta de movimento
Sempre com sua frase predileta
"Tamanho não é documento".
A Cidinha é um amor
E gosta muito de estudar
Mas passa as aulas sorrindo
E não para de falar.
A Eres é de morte
E como é endiabrada
Leva tudo em brincadeira
Ninguém diz que é casada.
A Doracy é a única
Que não pensa em namorar
Mas se vê moço bonito
Fica louca pra casar.
A Márcia é bem esperta
Senta perto da cunhada
Fica sabendo de tudo
E não deixa escapar nada.
A Zelinda é um anjo
E muita coisa nos conta
Nos ensina tanta coisa
Que deixa a gente até tonta.
A Ceila é um serelepe
E não para de falar
Grita e dá pulinho
E só pensa em namorar.
A Didi, que belezinha
Difícil encontrar igual
Mas não me responsabilizo
Depois do ato matrimonial
A Wilma é de morte
Vive a soltar piada
São tantas suas molequices
Nem pode ser criticada.
A Alziréia que às vezes
Costumava estudar
Só por causa de um moreno
No livro não quer pegar.
A Lúcia anda nas nuvens
A gente fica até tonta
Será que um novo amor
Que ela tem e não conta?
A Cecília é de morte
E não deixa passar nada
Tudo ela critica
E vive a soltar piada.
A Heloisa senta na frente
E se sente muito feliz
Quando o professor lhe pede
Pra ir buscar um giz.
Tange, o advogado
Diz ser o "tal" do museu
Não se pode dizer nada
Que ele diz "me ofendeu".
O Tomé é estudioso
Isso eu falo e não nego
Mas fora da escola
Ele banca o "galo cego".
O Niba ficou por último
Mas merece nossa afeição
É educado e bonzinho
Em qualquer ocasião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário