sábado, 2 de outubro de 2010

A ARTE EM SUAS MÚLTIPLAS LINGUAGENS: MADEIRA

Em Monte Alegre do Sul, em contato direto com a Natureza, precisei de algum tempo para adaptação. Durante toda minha vida, meu desejo era o de voltar às origens. Sair de uma cidade metrópole como Campinas com mais de 1 milhão de habitantes e vir para esta cidade com quase 6 mil habitantes, significou tocar os extremos de minha vida: profissão, carreira como assistente social, como artista plástica.
Por onde começar ou recomeçar. E ao mesmo tempo trabalhar a terra, acompanhar a construção de uma casa para morar, perceber a cidade, pessoas, modo de vida.
Um olhar mais profundo ao longo de alguns anos mostrou-me alguns caminhos. Deixei momentaneamente as telas (voltaria alguns poucos anos depois) e iniciei trabalhos com madeiras deixadas ao abandono. Construí peças, utilitários. Os anos de 2005 e 2006 deram-me o início da possibilidade de diversificar a arte, mostrar outras faces, sem perder minha assinatura, meu traço. Era o ano de 2005. Iniciava também um trabalho de construção da ASSOCIARTE - Associação dos Artesãos de Monte alegre do Sul. Para lá foram meus trabalhos ao lado de outros artistas montealegrenses. Estamos até hoje, 2010. Modificados, no entanto. Acho que pra melhor.










Abajur
Abajur confeccionado com coco

Oratório - São Gonçalo - doado para a Festa de São Gonçalo realizada na casa de Dito e Inês Cunha, meus vizinhos.

Nesse período não tinha espaço próprio para trabalhar (oficina). Trabalhjava ao ar livre com tábuas e cavaletes








Nenhum comentário:

Postar um comentário